A Antonela é incrivel

Eu nunca parei pra pensar, em como é "ser mãe", mas eu tive que parar para rever os meus atos logo apos do termino do relacionamento com o pai da Antonela. E hoje eu tive que ver que a minha filha, agora, precisa mais de mim, do que antes. E que eu não achei que esse termino ia causar algumas marcas nela.
Achei que iria continuar a mesma coisa, de acordo com a presença materna e a paterna, mas infelizmente não foi assim.
Hoje eu vejo que talvez eu esteja "pagando lingua", pois sempre culpei minha mãe por eu não ter tido a presença do meu pai desde que eu tinha dois anos. E hoje eu vejo que ela não teve culpa nenhuma, e que talvez eu e a minha filha esteja passando por isso, para eu ver que a culpa não foi da minha mãe, alias as portas sempre estiveram abertas para o meu pai, visitar a mim e ao meu irmão sempre que ele quisesse, mas ele nunca apareceu na porta.
E a mesma coisa eu estou passando, talvez para eu perceber o quanto era imatura de culpar a minha mãe pela ausencia do meu pai ou para eu sentir o que a minha mãe sentiu. E que assim como a Antonela eu era uma criança e não entendia nada. E confesso que é muito triste pra mim, ter que "ver para crer"!
Já faz um bom tempo desde que acabou tudo, e já se passou, aniversário da Antonela, carnaval, pascoa, e entre muitas outras datas comemorativas e nada do tal do "papai"!
Eu acho que a minha filha não teve culpa dos meus erros, e não merece pagar pelo que ela não fez. Do mesmo modo que eu e meu irmão tivemos que pagar pelos erros dos nossos pais. E hoje que vejo que a minha mãe nos fez foi um favor, alias é nas dificuldades que descobrimos o amor que o outro tem por nós!
E a minha sorte é que eu consigo ser frágil e forte ao mesmo tempo e não desisti de recomeçar. Mas um recomeço bom que seja positivo pra mim, e principalmente pela minha filha.
Eu descobri que a minha filha vem em primeiro lugar em tudo e eu tive que descobrir isso de uma maneira muito triste, eu tive que sentir uma dor que eu não queria que ela sentisse. Eu senti por ela e por mim de novo. E o recado fica aqui, minha filha é uma benção e não vai ser nenhuma religião que vai me provar o contrário, e que eu valorizo laços de sangue sim, e não vai ser nenhum relacionamento futil que vai me fazer mudar de ideia.
Não existe e nem vai existir religião no mundo que me prove o contrário.
Eu sei que eu não abandono minha filha, porque uma igreja disse que ela não é abençoada pelo simples fato dela não ter nascido de uma relação onde os dois se encontram na mesma religião e casados. Eu não to nem ai para o que pensam sobre ela, ou sobre a nossa relação. Mas ela tem a mim, tem a minha familia, e amor para ela é o que nunca vai faltar. Porque como eu sempre falo: voces não sabem o quanto a Antonela é incrivel!



4 comentários:

  1. Oi, lindo seu post entro aqui todo dia pra ver se voce postou algo novo. Meu blog é mamae-aos-15.blogspot.com , se quiser cv cmg ficarei mt feliz, beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi, Amanda! Todas as crianças são especiais e abençoadas por Deus. Independente dos erros dos pais dela, da família... Não existe religião que tire isso das crianças e nenhuma delas prega isso. Falo isso porque sou evangélica e conheço vários casos como o seu, em que pessoas de diferentes religiões tiveram filhos e ambas as famílias tem a criança como uma bênção e jamais deixam de dar assistência, amor, atenção e carinho à criança. Se a família do seu ex-namorado não consegue ver sua filhinha como uma bênção, só tenho a dizer que eles escondem o coração frio e sujo deles atrás de uma religião. Falam que conhece a Deus, mas Deus jamais ensinaria a julgar uma criança como sendo algo ruim. Na verdade, eles não conhecem o amor de Deus. O amor de Deus é tão simples e tão sublime. Está presente num simples sorriso da sua filha. Sua filha é um presente de Deus. Nunca se esqueça disso. Coloque Deus sempre na frente da sua vida e tudo dará certo para você e sua menina. Desejo toda saúde e felicidade para você duas. Que Deus abençoe vocês. Beijos

    ResponderExcluir