Sou mãe de uma boneca

Acabo de sair do banho, escolho uma roupa para sair e começo a me maquear. Pego um batom num tom vermelho e corro ele em meus lábios, quando escuto uma pessoinha me puxando e falando numa voz mansinha: quer passar "tom"
E a entrego um brilho labial, onde ela me observa e com o brilho lentamente acompanha os meus movimentos. E eu com muita ternura penso: que boneca.
E continuo me arrumando e ela pegando o exemplo. Confesso que é muito bom uma criança te amar, admirar, e querer ser com você, repetindo seu jeito, seu modo de falar, andar, rir (...) como a Antonela faz comigo, mas ao mesmo tempo é tão impressionante como ela cresceu. Parece que foi ontem, que eu estava deitada em uma sala de parto, subindo nas paredes de tanta dor que eu sentia. Parece que foi ontem, que ela pegou o meu peito pela primeira vez, que foi ontem em que eu mal conseguia pega-la por ser tão molinha, e mal consegui sustentar sua cabeça em seu pescoço, e hoje ela ja corre ( e como corre) pra tudo que é lado, já pula, dança, canta, fala... E fala muito. E a cada dia que passa, ela esta mais parecida com uma boneca. Delicada, linda e fofa. E eu a moldando...

Um comentário: